quinta-feira, 30 de junho de 2022

Prefeito do Rio confirma reunião com Flamengo sobre possível estádio




Uol: Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, confirmou que vai se reunir com Rodolfo Landim, presidente do Flamengo , "nos próximos dias". A informação foi divulgada durante uma transmissão ao vivo em uma rede social, na noite de hoje (30), após questionamentos sobre a possibilidade de o Rubro-Negro construir um estádio.



Segundo o prefeito, o que ele está sabendo sobre o projeto foi através da imprensa, e ressaltou que o Parque Olímpico, local que foi apontado como estudado pelo clube, é privado.

"Tem muita gente aqui, um monte de flamenguista. Um grande abraço a todos os flamenguistas. Essa história do estádio do Flamengo, o que eu sei é o que eu li no jornal, falando sobre Parque Olímpico. Eu vou estar com o presidente Landim [do Flamengo] nos próximos dias e vou entender o que é. Por mim, acho ótimo o Flamengo ter um estádio no Rio e autorizo o que for preciso para isso. A única coisa que eu disse é que o Parque Olímpico não é da prefeitura, ele é privado. Se o Flamengo comprar a área, certamente é um espaço bem legal para fazer o estádio. Só para esclarecer isso", disse.



O Flamengo voltou a flertar com o projeto de um estádio próprio após recente briga judicial pelo Maracanã . Atualmente, o Rubro-Negro e o Fluminense têm uma concessão provisória do estádio. São responsáveis por comercializar camarotes e patrocínio, e têm que pagar pela manutenção e outorga para o governo do Estado.


Neste cenário, o Vasco requisitou ao consórcio Maracanã — comandado pela dupla Fla-Flu — que pudesse jogar em 3 de junho, diante do Sport. Os gestores do estádio rejeitaram o pedido.



O Vasco foi à Justiça e conseguiu uma decisão que lhe deu razão. A Justiça determinou que o estádio é público e que os termos da concessão obrigam que seja cedido aos outros times do Rio de Janeiro. Na disputa, o governo do Estado, dono do Maracanã, ficou ao lado Cruz-Maltino.

Diante do imbróglio, a diretoria do Flamengo entende que o Maracanã está sujeito a interferências políticas em uma concessão. Assim, haveria insegurança em relação a disputar para ter o estádio por um período mais longo. Essa tese é rejeitada pelo Vasco, que vê o seu direito de jogar pela concessão.



Mais cedo, em evento com a presença de Eduardo Paes, Mario Bittencourt, presidente do Fluminense, fez críticas à decisão judicial que permitiu a realização do jogo do Vasco no Maracanã. Na cerimônia, no CT do Tricolor, houve o anúncio do início das de urbanização do entorno do local.

"Com toda a franqueza, considero essa decisão que foi concedida ao Vasco para este jogo, uma decisão completamente fora dos limites legais, dos limites do contrato e do bom senso. Houve um investimento de R$ 4 milhões para a troca do gramado. Flamengo ficou sem jogar jogos importantes no Maracanã, o Fluminense ficou sem jogar jogos importantes no Maracanã, da Libertadores , inclusive alugou São Januário para jogar duas vezes lá e, na segunda, foi solicitada a nossa retirada... Enfim, agora, considero um absurdo inadmissível que vamos ter um prejuízo enorme no gramado que colocamos lá por causa de uma decisão que não observou tudo isso. Nunca o Vasco e o Botafogo foram proibidos de jogar no estádio, mas o contrato de permissão de uso é muito claro de que a prioridade é dos clubes que fazem a gestão do estádio, dos clubes que tem a sua programação para jogar no estádio", afirmou.



- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário