quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Renato completa um turno pelo Fla ainda com rendimento superior ao de Ceni




Por Leo Burlá | Uol: Pressionado por atuações ruins recentes, o Flamengo volta a campo para mais um capítulo de sua maratona de jogos antes da finalíssima da Libertadores . Hoje (11), os rubro-negros recebem o Bahia, 19h, no Maracanã, pelo Brasileiro, em partida com algum simbolismo para Renato Gaúcho.



Contratado para substituir Rogério Ceni, o treinador fez sua estreia na competição justamente contra o Tricolor. Na ocasião, uma goleada por 5 a 0 encheu o torcedor de esperanças e otimismo, mas a situação virou e, um turno depois, as situações do time e do próprio comandante viraram de cabeça para baixo.

Alvo preferencial de parte da torcida, Renato está na mira da arquibancada depois da eliminação na Copa do Brasil. a missão quase impossível de levantar o tricampeonato nacional também entra nessa conta. Criticado pelo desempenho do time, Renato enumera as lesões e as convocações para justificar um rendimento que também tem um apoio positivo na estatística. Dos 60 pontos disputados por ele, o Fla venceu 39, totalizando um índice de 65% de aproveitamento. Esse jogo a mais na conta deve-se ao compromisso atrasado diante do Athletico.



No momento, a matemática não parece acalmar os rubro-negros e a preocupação para a decisão em Montevidéu cresce a medida que o tempo passa. Com o departamento médico lotado, o técnico tem tido problemas para encontrar soluções e a desconfiança ronda a Gávea.

Após o empate por 2 a 2 contra a Chapecoense , um jogo marcado por polêmicas de arbitragem, ele admitiu que o futebol está aquém do esperado, porém prometeu uma equipe na ponta dos cascos contra o Palmeiras.



"No dia 27 será um jogo atípico, um jogo de 90 minutos totalmente diferente. São várias cabeças aqui pensando no que é melhor, mas o torcedor pode ficar tranquilo que no dia 27 estaremos inteiros para a decisão", disse ele.

Sob fogo cruzado, o comandante sabe que a matemática não terá valor algum se o caneco não vier, embora Ceni tenha deixado o clube com apenas 42,8% de aproveitamento de pontos no Brasileiro. A taça continental, então, surge como uma espécie de última chance para que o ex-jogador também dê a volta olímpica como técnico.

"Eu tenho minha culpa? Lógico que tenho. É lógico que estamos devendo bastante, mas vamos melhorar. Podem ter certeza", prometeu.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Thiago Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário