quarta-feira, 13 de outubro de 2021

Com primeiro gol de Kenedy, outro de Pedro e golaço de falta de Andreas, Flamengo resolve jogo em um tempo




O Globo: Se não cumpriu com louvor, o Flamengo chegou ao fim dos três jogos com desfalques causados pela data Fifa de outubro em situação melhor no Brasileiro do que entrou. Com duas vitórias e um empate, manteve a distância para o líder Atlético-MG após o 3 a 1 desta quarta sobre o Juventude, no Maracanã, e viu o concorrente direto ter o mesmo aproveitamento após virada sobre o Santos. Agora, o Flamengo está nove pontos atrás do primeiro colocado, na segunda posição, e volta a depender só de suas forças para ser campeão, já que tem dois jogos a menos e o confronto com os mineiros. No fim de semana, o adversário será o Cuiabá, mais uma vez no Rio.


Além das ausências de Gabigol e Éverton Ribeiro, que defendem a seleção brasileira nesta quinta, de Isla, com o Chile, e Arrascaeta, cortado do Uruguai por lesão, o técnico Renato Gaúcho também não pôde contar com Bruno Henrique e David Luiz, machucados. E montou uma outra estratégia que apostou no banco de reservas de luxo, sobretudo do trio Pedro, Kenedy e Andreas Pereira, autores dos gols e de participação excelente no jogo. De volta, o goleiro Diego Alves quase não trabalhou com as mãos.

Com Kenedy aberto na direita, como um dublê de Ribeiro, e Michael do lado oposto, na função de Bruno Henrique, o Flamengo ganhou bastante amplitude para enfrentar uma linha de cinco marcadores do Juventude. Cabia a Andreas, mais adiantado, flutuar por trás da segunda linha de marcação, e Pedro era a referência para os passes por dentro e pelos lados do campo. Um quarteto que esteve à altura do titular.



A estratégia deu muito certo. Atrelada a uma intensidade para recuperar a bola, o Flamengo controlou as ações, apostou em um jogo de inversão de bola para achar espaços, e conseguiu superar com facilidade a equipe que briga contra o rebaixamento. No primeiro gol, Kenedy arrancou pela direita, tabelou com Pedro, que achou um passe de calcanhar. O estreante no time titular avançou e tocou na saída do goleiro. A pegada do Flamengo desde o ataque ficou nítida no segundo gol. Com a linha alta, Michael surpreendeu na saída de bola, robou e deu bola esticada para Pedro, só completar na pequena área. Em menos de trinta minutos, a vitória estava encaminhada. Mas faltava o lance mais bonito no Maracanã.



Em cobrança de falta de longa distância, Andreas Pereira encerrou o jejum que durava desde junho de 2018, ou 235 jogos, com um golaço. O placar elástico ao fim do primeiro tempo era o sinal claro para que um comportamento do Flamengo neste Brasileiro entrasse em ação. O time e a comissão técnica começam a conversar sobre as condições dos atletas, os que apresentam dores ou desgaste sinalizam, e Renato Gaúcho começa a preservar algumas peças. Após alguns minutos, saíram Pedro e Kenedy. Em seguida, Thiago Maia. O time voltou a ter algumas jóias da base.



Além de Matheuzinho, já consolidado, Victor Gabriel e Lázaro reapareceram. A equipe perdeu ainda mais em mobilização e entrosamento com as entradas da dupla e de Rodinei, que atuou como ponta direita. Foi quando Willian Matheus diminuiu, aos 11 minutos. Mas o Flamengo não deu mais a bola para o Juventude. Manteve-a sob seu controle, construindo desde a defesa, com Filipe Luíz atuando por quase noventa minutos e dando o equilíbrio tático e técnico necessário para as ações coletivas. Nofim, Andreas Pereira saiu aplaudidíssimo logo após colocar outra bola na trave em nova cobrança de falta magistral.

—É um orgulho fazer o gol no Maracanã e quebrar essa marca. Tomara que eu não seja o único, tem outros parceiros que cobram também — disse Andreas.


Primeiro gol de Kenedy pelo Mengão, com toque espetacular de Pedro, Fla 1 a 0

Pedro marca o segundo do Mengão, com passe de Michael, Fla 2 a 0
Golaço de falta Andreas Pereira, Fla 3 a 0

- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Alexandre Vidal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário