sábado, 29 de maio de 2021

Thiago Maia se aproxima de última etapa de recuperação no Flamengo




Em meio à possível venda de Gerson para o Olympique de Marselha e a preocupação com os desfalques no Campeonato Brasileiro, um jogador tornou-se a esperança para resolver alguns dos problemas do Flamengo: Thiago Maia.



O volante está fora dos gramados desde novembro do ano passado, quando sofreu uma grave lesão no joelho, e é visto como um reforço interno para o elenco.

Após o título carioca, Ceni citou Thiago como uma possível opção para suprir desfalques a partir de julho. O departamento médico do Flamengo é mais cauteloso e evita falar em prazo. Mas o fato é que o volante está na fase final de recuperação e se aproxima da última etapa antes de ficar à disposição do treinador.



- Thiago está na transição com a preparação física, já realizando alguns trabalhos com o grupo, mas com um controle de carga específico para ele. Algumas vezes inicia o trabalho com o grupo e depois faz o trabalho à parte.

- Esta é a última etapa antes de ele entrar com o grupo. Vai desenvolver valências físicas, como força, velocidade, potência, ações com a bola, imprevisibilidade. Este tempo vai depender da performance que ele vai ter e como vai estar nos nossos critérios para receber alta. Mas ele está muito bem dentro desta fase – explicou o coordenador de fisioterapia do Flamengo, Márcio Puglia.



Puglia ainda mostra cautela para estimar o retorno de Thiago Maia definitivo aos jogos. Há ainda a preocupação para evitar o que se chama de recidiva - uma espécie de recorrência de lesão após um longo período de tratamento. Estudos mostram que há um índice de quase 30% neste tipo de problema.

Segundo ele, mesmo quando puder voltar a atuar, o volante ainda precisará de cerca de dois a três meses para retomar o desempenho que tinha anteriormente.

Por outro lado, a recuperação de Thiago vem sendo acima da média. O prazo inicial de recuperação era de oito a 10 meses, contando a partir da data da cirurgia. O volante completará seis meses de operação no dia 3 de junho.



- O pós-operatório dele foi muito bom, e isso facilitou no processo de reabilitação, porque não precisamos gastar tanto tempo em determinadas etapas. Ele evoluiu acima da média no ganho de massa muscular. Ele sempre esteve acima do padrão - afirmou Puglia.

Thiago Maia se lesionou no dia 14 de novembro de 2020, no empate do Flamengo com o Atlético-GO. Ele sofreu uma lesão ligamentar grave no joelho esquerdo. A cirurgia aconteceu em 3 de dezembro, e, desde então, o volante vem passando por diversas etapas de recuperação.



- É importante ter todos esses critérios de alta, todo esse passo a passo. Parece muito tempo, mas na verdade é um tempo bem acima da expectativa. o Thiago vem tendo resultados muito além do esperado, por toda a dedicação dele, porque também não é um processo fácil. É difícil lidar com isso. É uma construção feita ao longo dos meses - disse Puglia.

Veja as etapas de recuperação de Thiago Maia:

1ª etapa: fase inicial do pós-operatório, leva em torno de oito a 12 semanas, ou três meses. Neste período, Thiago fortaleceu a musculatura e fez trabalhos de força, fisioterapia e hidroterapia. Realizou fisioterapia em dois períodos por dia. A partir da terceira semana, passou a andar sem muletas.

2ª etapa: após uma boa evolução, Thiago entrou no segundo mês de recuperação realizando trabalhos na academia, já no Ninho do Urubu. No mês seguinte houve aumento de carga e trabalhos funcionais.



3ª etapa: a partir do quarto mês, Thiago começou a realizar atividades no campo com fisioterapia. Neste momento, mostrou boa evolução, o suficiente para que fosse antecipada sua ida ao campo. Uma preocupação do DM do Flamengo foi levar o jogador a campo também como uma forma de motivação, variando as atividades. Ao todo, foram cinco semanas neste processo.

4ª etapa: é o atual momento do volante. Ele já realiza trabalhos de preparação física no campo há cerca de três semanas, com trabalhos coordenados, explorando os gestos esportivos que faz num jogo de futebol, mas ainda de forma controlada e gradual. Este momento começou a partir do quinto mês de recuperação. Não todo dia, mas em alguns momentos o atleta também participa de certas atividades com o elenco.



5ª etapa: a última até Thiago poder voltar a jogar. Ele será integrado ao grupo de jogadores e participar das atividades, embora no início ainda tenha um controle de carga específico, dosando a intensidade.

A tendência é de que Thiago volte aos poucos, sendo relacionado e atuando alguns minutos antes de um tempo maior em campo.



- O que vai ser feito de forma gradativa é um incremento de carga semana a semana, para que ele possa chegar perto de atletas jogando e possa retornar ao jogo. Mesmo assim ele ainda se encontra em uma fase de reabilitação. O retorno ao jogo é uma das etapas, mas ainda tem que controlar a carga. Talvez ele possa voltar, não para jogar 90 minutos.

- O retorno ao desempenho é mais à frente. O atleta volta, mas vai precisar de mais um tempo para realmente retornar ao nível de desempenho que ele já teve na carreira dele. Normalmente leva de dois a três meses. É o que prevê a literatura científica – explicou Puglia.

Estrutura e processos do departamento médico ajudaram na evolução

Conhecido como um jogador que pouco se lesionou ao longo da carreira, Thiago Maia teve sua evolução bastante elogiada. Mas, para Puglia, o processo de reabilitação montado pelo departamento médico do Flamengo e a estrutura do clube também foram fatores decisivos.



- Não dá para elencar uma única situação. Sem dúvida nenhuma, o fato de ele ter tido um excelente pós-operatório e evoluir a fase a fase com base em critérios específicos facilitou para que a gente tivesse segurança para dar o próximo passo. A gente não se prende somente ao tempo, mas na avaliação funcional do atleta no dia a dia. Os processos, como um todo, ajudaram muito - explicou Puglia.

Um exemplo foi o uso de uma esteira antigravidade adquirida pelo clube. Com ela, foi possível fazer com que Thiago começasse a dar trotes num ambiente controlado antes do tempo previsto.

- A esteira foi um passo fundamental. Foi um facilitador que tivemos, porque, quando o atleta começa a trotar no campo, precisa ter amplitude de movimento, força no quadril. Em vez de quatro meses, com três meses o Thiago já estava trotando na esteira. Começou com 60% do peso corporal dele e depois foi aumentando a cada semana - completou Puglia.

Emprestado pelo Lille ao Flamengo, Thiago Maia teve seu contrato renovado com o clube carioca até junho de 2022. Caso queira ficar com o atleta em definitivo, a diretoria rubro-negra poderá exercer uma opção de compra no valor de 7 milhões de euros por 50% dos direitos econômicos do jogador.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Fonte: https://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/quando-volta-thiago-maia-reforco-caseiro-volante-se-aproxima-de-ultima-etapa-de-recuperacao-no-flamengo.ghtml
Imagem: Alexandre Vidal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário