quarta-feira, 22 de junho de 2022

Jornalista afirma que não acha mais possível o Flamengo ativar o modo 'malvadão' de 2019 e fala os motivos




Uol: O Flamengo disputa hoje, às 21h30, diante do Atlético-MG, no Mineirão, o seu terceiro jogo sob o comando de Dorival Júnior, que é o quinto técnico do clube desde a saída de Jorge Jesus, com a busca por resgatar o futebol que levou o time às conquistas e à devoção da torcida pelo time de 2019. 



No UOL News Esporte, José Trajano afirma que não acha possível o Flamengo reativar o que foi o chamado 'Malvadão' de 2019, ressaltando que o problema vai além do técnico, passando por jogadores que já não conseguem render como fizeram há três anos.

"Aquela história aconteceu, foi sensacional, inesquecível para a torcida do Flamengo. De lá para cá, só piorou. Alguns jogadores que foram fundamentais naquela histórica passagem do Jorge Jesus já não rendem mais como rendiam e não é só o problema de técnico, já teve Rogério, teve Renato, teve Paulo Sousa e eles não estão mostrando mais aquele futebol. Isso inclui Gabigol, Everton Ribeiro, incluía o Bruno Henrique, que não joga mais este ano, o Willian Arão, o Filipe Luís, todos eles não são mais aqueles que na época do Jorge Jesus brigaram", diz Trajano.



"A viuvez continua, o Flamengo deveria ter trazido o Jorge Jesus para acabar de vez com a viuvez. Como não trouxe, todo técnico que entrar, não vai conseguir repetir o que o Flamengo fez naquela época e vai ficar essa coisa 'poxa, na época do Jorge Jesus não era assim'. Não é só o técnico, é o elenco do Flamengo", completa. 

Tironi também não considera possível a repetição do sucesso do Flamengo de Jorge Jesus e diz que a esperança de que isso volte a ocorrer é algo que acaba prejudicando o clube rubro-negro. 



"O time de 2019 já é uma fotografia na parede, não vai ser mais. Basta dizer, por exemplo, que o Bruno Henrique está machucado e vai ficar fora de combate durante 1 ano, não sabe nem como vai voltar quando ele voltar, ele já tem 32 anos. Aquele time ele já não consegue reproduzir, não vai ter mais Bruno Henrique pelo menos por enquanto, não se sabe como ele vai voltar", diz Tironi. 

"Filipe Luís, Willian Arão, Diego Ribas, estamos falando de 2019, são três anos de diferença e três anos no futebol é um tempo considerável. Lembre times em que caras jogaram em altíssimo nível tanto tempo na carreira, é muito difícil, aquele time é um retrato na parede. Resgatar o Flamengo de 2019 é ruim para o Flamengo, ele tem que colocar esse quadro na parede e falar, o Flamengo agora é uma outra coisa", completa. 



O jornalista afirma que o cenário do futebol brasileiro hoje também mudou muito em relação ao período mais vencedor da história recente do Rubro-negro, o que deveria bastar para evitar a comparação.

"Aquilo lá não vai ser repetido e é ruim para o Flamengo, enquanto ficar preso a isso, achando que aquilo vai se repetir, era um outro tempo, outro treinador, era outro cenário do futebol, com competição um pouco menor, não era o Palmeiras tão forte como hoje, não era o Galo tão forte como hoje, tem muita coisa para tentar comparar e acho muito difícil, acho péssimo para o Flamengo", conclui.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário