domingo, 29 de maio de 2022

Fla-Flu sempre tem pressão, mas dessa vez é o Fla quem joga no caldeirão




Uol: Fluminense e Flamengo fazem hoje (29), pelo Campeonato Brasileiro , o clássico carioca entre equipes que se encontram pressionadas, mas por motivos distintos. O duelo, porém, traz boas lembranças ao lado tricolor, enquanto recorda retrospecto recente negativo do Rubro-Negro. O confronto, no Maracanã, será às 18h (de Brasília).



O Tricolor, com 11 pontos, busca o triunfo para tentar passar a integrar o primeiro pelotão da competição, enquanto o Rubro-Negro, com nove, quer se afastar ainda mais da zona de rebaixamento.

A equipe das Laranjeiras, que aplicou uma goleada histórica sobre o Oriente Petrolero , entra em campo logo mais para iniciar uma "nova página" na temporada, após as eliminações precoces na Libertadores e Sul-Americana . As quedas nas competições internacionais deixaram um gosto amargo na torcida do Flu, e o time, agora, tem o foco voltado à Copa do Brasil e ao próprio Brasileirão.



Neste cenário, o Tricolor tenta engrenar e deixar as frustrações para trás. Apesar de invicto sob o comando do técnico Fernando Diniz — são cinco vitórias e dois empates —, o time ainda busca o melhor encaixe para alcançar uma sequência de resultados positivos e ter um segundo semestre mais satisfatório. A elástica vitória na última quinta-feira deu indícios positivos ao treinador.

"Fizemos um jogo brilhante, infelizmente, não conseguimos a classificação. O Fluminense jogou muito bem. Sabíamos que precisávamos dos resultados. Estávamos focados no adversário. A equipe cumpriu o que tinha fazer" disse Diniz, em breve coletiva após o jogo.



Do outro lado, um Flamengo que está classificado para as oitavas de final da Libertadores e teve a terceira melhor campanha geral na fase de grupos do torneio, mas nem mesmo a vaga conquistada antecipadamente foi capaz de diminuir a turbulência na Gávea.

A diretoria, comissão técnica e elenco convivem, há semanas, com críticas das arquibancadas. O presidente Rodolfo Landim tem sido um dos principais alvos, mas o técnico Paulo Sousa e nomes do grupo, como o goleiro Hugo Souza, não escapam das avaliações negativas.



"Nossa torcida é soberana, eles têm todo direito de estarem ou não contentes. Procuramos fazê-los felizes com a nossa performance e com os nossos resultados. Se eles não pensam assim nesse momento, temos de continuar a trabalhar mesmo tendo atingido nesta campanha resultados extraordinários (...). Tivemos um número de gols extraordinário e a campanha é extraordinária, mas sentimos que não é suficiente. Queremos continuar a melhorar para podermos aproximar daquilo que é a exigência da nossa torcida", afirmou o treinador, após o triunfo sobre o Sporting Cristal , na última terça-feira.

Landim, inclusive, voltou a estar no centro das atenções nos últimos dias . O motivo é que ele, Rodrigo Dunshee (vice-presidente geral) e Gustavo Oliveira (vice de marketing) foram a Paris (FRA) para acompanhar a final da Liga dos Campeões, a convite da Adidas, fornecedora de material esportivo do clube. Além do trio, Luiz Eduardo Baptista (presidente do conselho de administração) e Rodrigo Tostes (vice de finanças) são outros funcionários do clube que estão na Europa, no entanto, por contra própria.



Mas antes mesmo de a agenda vir a público, uma movimentação nas redes sociais já indicava um protesto neste domingo, na porta da sede social do Fla, na Gávea.

Flu algoz do Fla

O Tricolor e o Rubro-Negro protagonizaram a final do Campeonato Carioca deste ano, e o time das Laranjeiras levou o melhor , encerrando o jejum que vinha desde 2012 e evitando que o rival conquistasse o inédito tetra.

O Fluminense, inclusive, tem tido mais sucesso nos últimos clássicos. Nos últimos dez encontros, foram seis vitórias, dois empates e duas derrotas. O último triunfo do Fla foi em maio do ano passado, no segundo jogo da decisão do Estadual.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário