Entenda trabalho de Paulo Sousa por legado que Jorge Jesus não deixou no Flamengo




O Globo: A renovação em curso no Flamengo e a presença cada vez mais constante de jovens como Hugo, João Gomes, Lázaro e até Matheus França na equipe fazem parte de um trabalho invisível promovido por Paulo Sousa, que promete um legado que nem Jorge Jesus deixou. Após os treinos é comum ver o português conversando a sós com alguns desses garotos. Muitas vezes faz trabalhos técnicos específicos. Em outros, mostra como quer que o atleta se posicione no sistema de jogo. Há atenção especial e preocupação com o desenvolvimento coletivo e individual.



Embora a reformulação do estilo de jogo e a busca pelas melhores peças para o time titular sejam os principais desafios da comissão técnica em quase três meses, longe do campo de jogo os profissionais dialogam com os do clube para investir na formação de talentos. E ajudar a diretoria a manter alta a média de receita obtida com venda de joias para a Europa — fator determinante para o poder de investimento em reforços.

Multicampeão no Flamengo, Jesus deixou esta lacuna. Não promoveu a base nem investiu em formação de jogadores e profissionais para lidar com um novo tipo de jogo, cada vez mais intenso, que também requer tecnologia avançada para auxiliar na obtenção de resultados. Deixou o Flamengo e levou o conhecimento aplicado por aqui.



Desde as primeiras conversas com o Fla, Sousa deixou claro que gosta de conhecer e trabalhar com jovens. O técnico é amigo de analistas de mercado e observadores de clubes europeus que o ajudam a se manter informado sobre as novidades no universo das categorias de base.

Assim que chegou, a comissão técnica estrangeira solicitou novas tecnologias. Algumas já foram incorporadas aos treinamentos e jogos, outras ainda estão a caminho. O diferencial, no entanto, não está na apenas aplicação delas na rotina. Tanto técnico quanto auxiliares e preparadores preocupam-se em trocar informação para que o conhecimento sobre os equipamentos fique no clube.



Os preparadores físicos Lluis Sala e Antônio Gomes fizeram reuniões com preparadores e fisioterapeutas da base para ensiná-los a operar os equipamentos e falar sobre metodologias de trabalho, aplicação de ciência e sua importância para prevenção de lesão e performance. O mesmo foi feito pelo preparador de goleiros Paulo Grilo.

Lado mental preocupa

Assim que chegou ao clube, Paulo Sousa chamou os auxiliares Manuel Cordeiro e Victor Sánchez e promoveu reunião com o gerente de futebol Fabinho Soldado, o gerente técnico Juan, o gerente de transição Carlos Noval e o gerente da base Luís Carlos. O objetivo era saber mais a respeito da estrutura da base, metodologias, processos e modelos de treinamento. E, claro, o que poderia ser aprimorado, como introduzir mais exercícios nos treinos que refletissem nos jogos.



Nesse contexto, chamou muito a atenção a preocupação com o lado mental. Para o português, os atletas da base precisam trabalhar forte este quesito desde cedo, para aguentarem a pressão psicológica dentro e fora de campo. Sousa não pediu a contratação de um psicólogo e tem feito às vezes deste profissional, com um mapeamento do material humano à disposição.

Aposta em João Gomes

Ainda na Europa, Paulo Sousa pegou dados sobre atletas do clube. Nos treinos da pré-temporada, pôde ver muitos deles de perto, quando estavam sob comando de Fábio Matias. Acompanhou os jogos-treino no CT e as duas primeiras partidas do Estadual <em>in loco</em>. As observações renderam a promoção de Matheus França, Cleiton e Noga. Entre idas e vindas do sub-20, Lázaro também foi efetivado no elenco principal.



Dentre os que já treinavam com Sousa, quem mais o encantou foi João Gomes, que estava decidido a sair. Com a alegação de que seria importante para o esquema de jogo, convenceu o volante a ficar. Hoje, Gomes ganha espaço e foi preterido em relação a Andreas Pereira, que ainda não tem a compra assinada.

Todos os jovens são tratados com a mesma atenção. Recentemente, em decisão conjunta com as gerências técnica e de transição, Ramon e Matheus França desceram para um amistoso contra o Olaria, no sub-20. Após o jogo, Paulo Sousa procurou saber como foi o desempenho de ambos — técnica, física, tática e mentalmente. Não à toa voltaram a ser relacionados na equipe principal.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação
Entenda trabalho de Paulo Sousa por legado que Jorge Jesus não deixou no Flamengo Entenda trabalho de Paulo Sousa por legado que Jorge Jesus não deixou no Flamengo Reviewed by NF on março 28, 2022 Rating: 5

Nenhum comentário

Deixe seu comentário