sexta-feira, 5 de novembro de 2021

Diretoria foca em Final da Libertadores, calendário e planejamento para 2022, causando desconforto em Renato




Por Diogo Dantas | O Globo: Causou estranheza ao técnico Renato Gaúcho e aos jogadores do Flamengo, que nesta sexta-feira enfrenta o Atlético-GO, às 21h30, no Maracanã, o fato de nenhum dirigente do Flamengo ter ido a público para protestar contra a arbitragem no empate da última terça-feira, diante do Athletico . A diretoria até solicitou o áudio do VAR para entender os critérios que levaram o juiz retirar o cartão vermelho de Renato Kayzer após agressão a Léo Pereira, mas já sabe que não poderá reverter a decisão.


A apatia do presidente Rodolfo Landim e seus pares soaram no Ninho do Urubu como falta de respaldo. Houve apenas a coletiva de Renato Gaúcho após o jogo. O treinador não escondeu o incômodo por só ele se manifestar. Quando houve críticas ao calendário, Landim apareceu para cobrar a CBF.

De fato, segundo a reportagem apurou, a distância para o líder Atlético-MG no Brasileiro, hoje em 12 pontos, levou as ações se voltarem para a final da Libertadores, o calendário de 2022 e o planejamento do futebol para o ano que vem, ainda sem saber se com ou sem Renato Gaúcho.



Já há entre parte da diretoria contatos com o mercado para entender a viabilidade da contratação de um técnico estrangeiro. Empresários que atuam em Portugal indicam boas chances de Carlos Carvalhal, do Braga, aceitar um convite, e de Jorge Jesus acabar revendo a ideia de voltar diante da crise no Benfica.

No Flamengo, Renato Gaúcho ainda tem apoio do vice de futebol Marcos Braz e do diretor Bruno Spindel. Mesmo calados, ambos bancam o trabalho e compartilham com o técnico a sensação de falta de apoio do restante da diretoria. Há o entendimento de que toda a carga de crítica sobre o treinador pelos maus resultados podem facilitar a não renovação do vínculo, que vai até dezembro.



Renato já indicou internamente que o buraco é mais embaixo. Passa pelo departamento médico e a preparação física. Apesar das críticas, o técnico vê Braz e Spindel segurarem o futebol sozinhos, sem apoio. Isso indica que a reformulação pode ser bem mais ampla caso o título da Libertadores não venha. O do Brasileiro, apesar das chances matemáticas, a diretoria já “jogou a toalha”.

Menos desfalques

Em campo, o Flamengo enfrenta o Atlético-GO com os retornos de Bruno Henrique, que estava suspenso, e dos zagueiros Rodrigo Caio e David Luiz, recuperados. O técnico Renato Gaúcho ainda não terá Arrascaeta, que hoje saberá se vai ser convocado pelo Uruguai ou segue tratamento no clube com foco na final da Libertadores. Os outros desfalques são o lateral esquerdo Filipe Luis e o meia Diego, em fases distintas de tratamento de lesão, além de Pedro e Kenedy, machucados.



Renato deve manter o jovem Ramon na equipe na ala. No meio-campo, Arão e Andreas podem ter a companhia de Vitinho, que tem entrado bem quando é acionado.

Com a volta de Bruno Henrique, a dúvida é se Michael será aberto pelo lado direito, para municiar também Gabigol, ou se Everton Ribeiro segue na equipe, apesar de viver péssima fase e ter desgaste físico elevado.



Se for preservado, o meia abre espaço para o atacante de velocidade que tem se destacado nos últimos jogos.  Após a partida, o lateral Isla viaja para se apresentar ao Chile para atuar pelas Eliminaatórias. É possível também que Renato dê oportunidade a Matheusinho na partida. Assim como para Rodinei. O chileno será desfalque por três jogos.



- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário