quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Flamengo impõe ao Bahia sua terceira pior derrota na história do Brasileirão unificado



Por PVC | GE: A vitória do Flamengo sobre o Bahia por 5 x 3 representa a segunda maior derrota da história do Esquadrão de Aço, em Salvador, no Campeonato Brasileiro unificado, desde 1959. O Bahia levou 7 x 4 do Santos, em 2003, com show de Robinho, autor de dois gols, 7 x 0 do Cruzeiro, no mesmo ano, jogo que consolidou o rebaixamento daquele ano, e 4 x 0 do América, em 1979. Em número de gols sofridos em casa, esta é a terceira maior derrota. Em diferença de gols, foi pior contra os americanos.


O Flamengo teve bela atuação ofensiva, desperdiçou sua primeira oportunidade aos 30 segundos, com Éverton Ribeiro, e marcou 1 x 0 com Pedro a 1 minuto e 12 segundos, com Pedro. O primeiro gol indica o que mais deu certo: voltou a haver pressão na saída de bola do adversário.


Domenec Torrent manteve seu sistema 4-3-3, mas com William Arão de primeiro volante, Thiago Maia e De Arrascaeta como meias. Assim, Éverton Ribeiro voltou a ocupar o lado direito do ataque. Não como meia, mas com a função de dar amplitude pela direita. Pela esquerda, Pedro Rocha fazia o mesmo serviço.

Na saída de bola, muitas vezes o time se posicionava com três atrás, três no meio, De Arrascaeta como articulador e os três da frente. De Arrascaeta fazia o papel de enganche, muitas vezes invertendo com Pedro Rocha, o que confundia a defesa do Bahia.


O uruguaio foi o melhor em campo, com dois gols e um passe para gol. Mas é importante destacar atuações de bons coadjuvantes, como Isla, muito seguro na defesa e autor de dois passes decisivos. E Rodrigo Caio, o mais perfeito passador do jogo, com 100% de acerto em 64 passes concluídos.

O Flamengo sobe na tabela. Segue sendo favorito ao título, principalmente pela qualidade de seu elenco.


Fonte: https://globoesporte.globo.com/blogs/blog-do-pvc/post/2020/09/02/flamengo-impoe-ao-bahia-sua-terceira-pior-derrota-na-historia-do-brasileirao-unificado.ghtml

CURTA NOSSA PÁGINA




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário