quarta-feira, 15 de junho de 2022

Fla encara Cuiabá, e Dorival tem a missão de abafar pior fase em sete anos




Uol: Dentro de campo, o Flamengo vive a pior fase em sete anos. O time acumula três derrotas consecutivas, marca que não acontecia desde novembro de 2015. No Brasileirão, são 12 pontos em 11 jogos, e a partida de hoje (15), contra o Cuiabá é encarada com o peso de uma virada de chave. O duelo no Maracanã começa às 20h30 (de Brasília).



O Fla vive momentos que parecia ter deixado para trás e flerta com a zona de rebaixamento após temporadas de reconstrução. As derrotas para o Fortaleza, lanterna da competição, para o Red Bull Bragantino, que não vencia há nove jogos, e para o Internacional, que não havia vencido ainda com o atual técnico no Beira-Rio neste nacional, trouxeram à tona a turbulência, mas trocaram um pouco o holofote.

Se antes Paulo Sousa era um dos principais alvos das críticas, a chegada de Dorival Júnior faz com que a responsabilidade caia mais sob o elenco e a diretoria rubro-negra. O presidente, Rodolfo Landim, e o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, estão no foco dos protestos, tanto da torcida quanto internamente. O momento de pressão divide opiniões na Gávea e a base aliada se vê cada vez mais crítica ao mandatário e sua gestão. 



Dorival chega com a confiança e o respaldo da torcida para fazer mudanças necessárias no elenco, que já é apontado como o principal culpado pela pior fase vivida pelo rubro-negro em sete anos. Os jogadores em maioria são consagrados na história do Fla, visto que conquistaram a Libertadores pelo clube após 38 anos, no entanto, a necessidade de reformulação é o motivo das críticas e protestos. 

"Em um momento como esse, ficar apontando seria muito simples. Agora é apontar o dedo para nós, ver o que podemos melhorar. Precisamos de uma cobrança maior em todos sentidos, dedicação, fazendo com que mudemos nossa chave. O Flamengo não pode ter esse tipo de comportamento. Temos de ter equilíbrio e tranquilidade", disse Dorival, após a estreia, com derrota, para o Internacional.



A partida contra o Cuiabá marca, de fato, a nova era de Dorival no Fla. O técnico chegou às pressas e concedeu os primeiros treinamentos ontem (14) e anteontem (13). A missão de imediato é espantar a má fase e não igualar a sequência de 2015, quando acumulou quatro derrotas: Figueirense (3x0), Internacional (0x1), Corinthians (1x0) e Grêmio (2x0).

Outro desafio do técnico é igualar as expectativas à realidade. O bom desempenho de 2019 e parte de 2020 ainda está no imaginário do torcedor, o que torna a performance atual um dos motivos de protesto. Com os jogadores criticados e a atuação cobrada, Dorival parece ter carta branca para tentar soluções.



O alerta do Flamengo está ligado para fugir da zona do rebaixamento, e Dorival busca a vitória para ter a tranquilidade que deseja para trabalhar. Além do Brasileirão, que o técnico precisa recuperar da campanha oscilante, o Fla inicia as decisões das oitavas da Copa do Brasil e da Libertadores ainda neste mês. A reação imediata é vista como ponto central para o restante da temporada.

Bruno Henrique atinge marca 

Referência no ataque do Fla, e velho conhecido de Dorival, Bruno Henrique completa feito histórico na carreira. Ao entrar em campo contra o Cuiabá, o atacante completará 400 jogos como profissional. 

Até o momento, são 185 jogos pelo Rubro-Negro, com 79 gols e 44 assistências. O atacante ganhou destaque na passagem pelo Santos, quando, inclusive, chegou a ser comandado por Dorival. Na equipe da Vila, foram 88 partidas: 20 tentos e 14 passes para gol. 


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário