Jornalista diz que existência do VAR exige mudança na regra do impedimento




Uol: Uma polêmica marcou a vitória por 1 a 0 do Botafogo sobre o Flamengo, no último domingo (8), pelo Brasileirão. Quando a partida ainda estava 0 a 0 no estádio Mané Garrincha, Gabigol foi às redes após receber passe de Everton Ribeiro. O VAR entrou em ação, apontou impedimento do atacante na jogada e o lance foi anulado, para revolta dos rubro-negros. O lance gerou grande discussão sobre o momento em que a linha foi traçada pela arbitragem de vídeo.



No programa Cartão Vermelho #10, transmitido ao vivo pelo UOL Esporte nesta terça-feira (10), os jornalistas Juca Kfouri e José Trajano discutiram sobre o uso do VAR no futebol brasileiro. Para ambos, o uso da arbitragem de vídeo tem criado ainda mais polêmicas do que ajudar a resolver lances duvidosos.

"Houve uma polêmica no gol anulado do Gabigol, se pegaram o frame errado ou não e se ele estaria ou não impedido. Começo por achar sempre o seguinte: a existência do VAR exige que a regra do impedimento seja mudada. Você tem que ficar dentro do espírito da lei, e ela diz que o jogador não pode levar vantagem em relação à defesa. É óbvio que três centímetros do ombro do Gabigol não lhe dão vantagem. Alguma coisa precisa ser feita para que isso mude", opinou Juca.



Para Trajano, a arbitragem de vídeo tem sido um grande problema no Brasil. "Foi uma polêmica enorme e teve gente que até pegou régua para medir. Olha, o VAR atrapalha bastante, principalmente no futebol brasileiro", comentou. Juca acrescentou: "Olha como se usa o VAR na Premier League e como se usa por aqui", disse o colunista do UOL, ao se referir à rapidez na tomada de decisões e ao menor número de intervenções. 

Nas redes sociais, Gabigol questionou o impedimento, o que gerou uma série de provocações dos rivais botafoguenses - como o youtuber Felipe Neto. Com a derrota, o Flamengo permaneceu com apenas cinco pontos ganhos em cinco rodadas no Brasileirão. Já o Botafogo foi a oito pontos. Juca questionou o conteúdo dos áudios do VAR no lance. 



"O que mais me chamou a atenção, e estou esperando até agora que a comissão de arbitragem da CBF responda, é que por duas vezes você ouve alguém falar 'Ainda temos tempo'. Temos tempo do quê? Agora se exige que a decisão saia em dois minutos? É bom saber, porque a pressa é inimiga da perfeição", completou.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação
Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.