Fla aposta em trio ofensivo contra Católica, com esperança de afastar crise




Por Letícia Marques | Uol: Na noite de hoje (17), o Flamengo encara o Universidad Católica, às 21h30, no Maracanã, pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Em meio à pressão interna e insatisfação da torcida com o elenco, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabi surgem como esperança para afastar a crise e manter escrita na competição continental. 



Após 27 dias longe do Maracanã, o Flamengo retorna ao estádio assombrado pela pressão sobre Paulo Sousa e imerso nas críticas à gestão de Rodolfo Landim. Este jogo, além da possibilidade do time carioca em garantir a vaga nas oitavas de final, marca o início de uma sequência de jogos em casa, que internamente é vista como a 'chance final' para o técnico potuguês.

Para respirar mais aliviado em meio à crise que conturba os bastidores, Sousa vê o trio de ataque como um amuleto nesta temporada, principalmente, em jogos da Libertadores. O técnico contou com os jogadores em três das quatro partidas da fase de grupos. Arrascaeta foi a única ausência, isso porque, ficou fora da estreia por dores no tornozelo esquerdo.



Referência desde 2019 e colecionando números expressivos, o trio foi responsável por metade dos gols do Flamengo na Libertadores nesta temporada. Ao todo, foram cinco tentos convertidos e cinco assistências na competição continental. Gabi é quem soma mais participações: três bolas na rede e um passe decisivo. Enquanto isso, Bruno Henrique marcou uma vez e se consolidou como o 'garçom' do trio: quatro assistências. Arrascaeta, por sua vez, balançou as redes apenas uma vez.

Cabe destacar que, na última partida pela Libertadores no Maracanã, quem brilhou foi a peça que transforma o trio em quarteto: Everton Ribeiro. Contra o Talleres, o camisa 7 marcou dois gols, que juntos ao tento de Gabi, levou o Flamengo a vitória pela segunda rodada na fase de grupos. 



Além disso, o Rubro-Negro coleciona um retrospecto positivo na competição continental. O clube carioca não perde jogando em casa desde 3 de abril de 2019, quando foi derrotado pelo Peñarol, no Maracanã. De lá para cá, foram 12 vitórias e três empates. Ou seja, este foi o único revés da gestão Landim como mandante na Libertadores.

Apesar dos números positivos e do protagonismo no continente, o presidente Rodolfo Landim vive clima de tensão nunca antes visto em sua gestão. O presidente se torna o principal alvo em meio a crise que abrange da Gávea ao Ninho e tem como um dos motivos o respaldo ao técnico Paulo Sousa, mesmo com o desempenho recente do elenco. 



A arquibancada do Maracanã, por sua vez, se torna aliada a técnico que está marcado pela desconfiança. No entanto, Sousa reforça a necessidade de apoio da torcida do Flamengo para aliviar o momento interno.

"O torcedor já passou por vários momentos, o torcedor tem muito amor por esse clube. Ele vai apoiar na dificuldade de resultados. Merecemos, estamos trabalhando. Os momentos não têm sido benéficos, mas vamos focar no que acreditamos e isso vai virar", disse o treinador português, após empate com o Ceará, no último sábado (14), pelo Brasileirão.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.