domingo, 17 de outubro de 2021

Flamengo enfrenta o Cuiabá vivendo corrida contra o tempo para entrosar time ideal até final da Libertadores




Extra: Diego Alves, Isla, David Luiz, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Willian Arão, Andreas Pereira, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. Essa não será a escalação do Flamengo contra o Cuiabá. É a formação ideal do rubro-negro, mas que Renato Gaúcho só foi capaz de colocar em campo em um único jogo, este ano. É a que ele sonha em ter no duelo mais importante de 2021: a final da Libertadores, contra o Palmeiras.



Para a partida deste domingo, às 20h30, no Maracanã, o treinador não poderá contar com cinco dos 11 citados. Isla teve o voo de volta ao Rio atrasado, Rodrigo Caio será poupado, David Luiz, Arrascaeta e Bruno Henrique estão entregues ao departamento médico.

Desde que David Luiz foi contratado e fechou o elenco, o Flamengo escalou força máxima apenas uma vez em dez partidas: no jogo de volta contra o Barcelona (EQU), pela semifinal da Libertadores. Ainda que a base seja a mesma desde 2019, Renato ainda não teve o melhor entrosamento entre os titulares mais recentes, David Luiz e Andreas Pereira, e o restante.



Até a final da Libertadores, dia 27 de novembro, serão 12 partidas para Renato Gaúcho manter o Flamengo na briga pelos títulos do Brasileiro e da Copa do Brasil, e ainda por cima dar os últimos retoques na equipe para a final da Libertadores. Com jogos das Eliminatórias no começo de novembro, esse número deverá ser, na prática, de até nove jogos.

Esta noite, o desafio será seguir à caça do Atlético-MG, líder do Brasileiro. Para além dos desfalques, a equipe de Renato Gaúcho terá pela frente o Cuiabá, surpreendente nona colocada. A promessa é de esquema defensivo por parte do time de Jorginho, nada com que o Flamengo não esteja acostumado. Falta a ele é se habituar a ter a força máxima em campo.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Marcelo Cortes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário