terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Mais Yuri César, menos Pedro Rocha? Fla prevê mercado mais conservador



Grande protagonista do mercado da bola desde 2019, o Flamengo prepara passos mais cautelosos para os ajustes necessários para a temporada de 2021. Em tempos de pandemia, até o clube rubro-negro vai trocar grana por criatividade.



Embora o futebol ainda role —com o time dirigido por Rogério Ceni ainda à busca do Brasileirão—, a diretoria rubro-negra espera começar a desenhar a temporada de 2021, de fato, com mais calma a partir das próximas semanas. O tema é debatido internamente, mas Ceni e a cúpula de futebol iniciarão conversas mais concretas a partir da próxima semana.

Sem muito dinheiro disponível para investir, em comparação com os anos anteriores, o Fla dificilmente fará investidas como as que resultaram nos negócios de Arrascaeta e Gabigol, por exemplo, e projeta com cautela seus movimentos futuros. Agora, ao menos para os padrões assimilados pela torcia rubro-negra em tempos recentes —consideremos, de todo modo, que o clube já definiu a compra dos direitos do centroavante Pedro em seis parcelas que serão desembolsadas durante os próximos meses.



Uma tendência é que jovens emprestados tenham mais vez ao retornar ao Ninho do Urubu, o que é o caso do atacante Yuri César , jogador que teve bons momentos com Ceni no Fortaleza. Um "luxo" como Pedro Rocha , que custava muito por mês, foi sempre reserva e pouco devolveu em campo, não deverá se repetir.

O Rubro-Negro não descarta nomes de peso, é claro, porém a voracidade tem tudo para ser menor. Apenas no ano passado, os rubro-negros foram com sede para as compras e trouxeram nomes como os badalados Isla, Gustavo Henrique, Léo Pereira e Michael. Pedro Rocha, Thiago Maia e Pedro vieram por empréstimo.



E aí lembramos que o centroavante, contratado em definitivo após transação com a Fiorentina, já entra no bolo dos investimentos feitos para o ano que se inicia. Os cerca de R$ 87 milhões necessários para a quitação já comprometem um bom pedaço do montante previsto para investimento em reforços.

O cenário de cintos um pouco mais apertados deve-se em grande parte à covid-19. Em tempo de pandemia, os rubro-negros estimam que os estádios não estarão abertos ao público antes do final de março.



Apesar do cenário pessimista para este fim de ano, os rubro-negros foram arrojados em seu orçamento, visto que há previsão de receita de R$ 953 milhões. Deste total, R$ 168 milhões são provenientes de transferência de jogadores.

Foco no Flu

Ao passo que os dirigentes começam a pensar nas necessidades do elenco, o grupo segue o trabalho de olho no Fluminense , rival de amanhã (6), às 21h30, no Maracanã. Ainda em tratamento de lesão na coxa, Diego Alves não joga o clássico e será substituído por Hugo Souza . Os rubro-negros treinam a partir das 9h.


- // -

> Veja as últimas informações sobre o Mengão em nossa página principal, Clique Aqui



Fonte: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2021/01/05/mais-yuri-cesar-menos-pedro-rocha-fla-preve-mercado-mais-conservador.htm

CURTA NOSSA PÁGINA



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário