terça-feira, 2 de abril de 2019

Flamengo gastou o triplo em reforços e quase R$ 50 milhões a mais em salários do que orçou em 2018



O balanço do Flamengo em 2018, último ano da gestão de Eduardo Bandeira de Mello, revelou gastos bem maiores do que estavam em orçamento em relação a salários e investimento na contratação de jogadores.



O gasto com aquisição de direitos econômicos foi o que apresentou maior diferença entre a expectativa e realidade: o clube tinha previsão de investir R$ 48,3 milhões, mas foram R$ 142,8 milhões em despesas no quesito.

Os maiores responsáveis pelo Flamengo ter gasto mais que o triplo do orçado foi Vitinho, até então maior contratação da história do clube – superado nesta temporada por Arrascaeta – e o paraguaio Piris da Motta.

Foram pagos ao CSKA Moscou-RUS por Vitinho R$ 53,9 milhões, enquanto Piris da Motta custou, no total, entre pagamento ao San Lorenzo-ARG e comissões, R$ 26,8 milhões – bem mais do que havia sido anunciado na época.



Já em relação a salários, o Flamengo teve R$ 229,39 milhões em gastos com pessoal em 2018, o que inclui salários, direitos de imagem, encargos e benefícios. Diferença de quase R$ 50 milhões com os R$ 179,4 milhões do orçamento.

Só no futebol, foram R$ 164,98 milhões em salários, obviamente, segmento que foi responsável pela maior fatia dos gastos nesse quesito.

Apesar dos gastos acima do esperado, o Flamengo também teve receitas superiores ao orçado. O clube faturou R$ 516,7 milhões líquidos, enquanto a previsão era de R$ 450,8 milhões.

Pelas despesas maiores, contudo, o superávit rubro-negro foi inferior ao que estava no orçamento: a previsão era R$ 53,7 milhões, e o resultado real foi de R$ 45,8 milhões.


Fonte: http://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/5455561/flamengo-gastou-o-triplo-em-reforcos-e-quase-r-50-milhoes-a-mais-em-salarios-do-que-orcou-em-2018

Curta nossa Página




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário