Landim responde sobre andamento da compra de terreno para construção de estádio do Flamengo



Por Mauro Cezar | Uol: Com as mudanças feitas pelo governo do Estado do Rio de Janeiro no edital de concessão do Maracanã, administrar o estádio tornou-se ainda menos interessante para o Flamengo, que ao lado do Fluminense faz a gestão provisória do estádio e têm o interesse de, juntos, assumi-lo por aproximadamente 30 anos.


A alteração foi informada pelo Blog do Rodrigo Mattos, na quinta-feira. Na noite de sábado, o presidente Rodolfo Landim respondeu ao blog sobre o assunto.

O que há de concreto sobre o futuro estádio do Flamengo?

De concreto, o que há é apenas a escolha de sua localização, o terreno do Gasômetro. A luta no momento é conseguir a liberação do terreno para a construção do Estádio.


E qual a situação?

O terreno está registrado em nome de um fundo gerido pela Caixa Econômica Federal (CEF) por ter sido constituído com recursos do FI-FGTS. Por sua vez, os gestores nomearam após processo seletivo a Vinci Partners como assistente técnico responsável por avaliar e recomendar todas as aplicações de recursos do referido fundo.

O terreno anteriormente pertenceu à União, registrado em nome da SPU (Secretaria de Patrimônio da União), que o cedeu à Prefeitura do Rio de Janeiro em troca de uma dívida de R$ 226 milhões (ainda não quitada) e esta o transferiu ao referido fundo como parte do pagamento por recursos cedidos por este para as obras do Porto Maravilha. Outro aspecto importante é que além do terreno propriamente dito, o fundo detém, associado a este terreno, um CEPAC (Certificado de Potencial Adicional de Construção) emitido pela Prefeitura e aprovado pela Câmara dos Vereadores do RJ. Isto significa o direito de ter uma maior área construída no referido terreno. Este CEPAC pode ser transferido para outro terreno, mas depende de autorização da Prefeitura (e o prefeito já se declarou favorável a fazer isto) e aprovação dessa transferência (a ser dada pela Câmara dos Vereadores).


O Flamengo agora, então, precisa que decidam vender o terreno a ele, certo?

A construção do Estádio é de interesse de todos. A Prefeitura sabe que ela ajudará a revitalização de uma área do Porto Maravilha que não "decolou". O mesmo podemos dizer dos gestores da CEF já que existem outros terrenos com altos valores de CEPAC por ali que seriam valorizados. O que estamos construindo com todos os atores citados é uma forma de liberar o terreno para a compra pelo Flamengo com todas as aprovações necessárias. Este resumo que fiz é para se ter a ideia dos atores envolvidos no assunto e das tratativas necessárias prévias à compra do terreno que estão em andamento. É o que dá para comentar.

Fonte: Uol
Imagem: Divulgação

- // -

Clique aqui para ver mais notícias do Fla

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.