quinta-feira, 14 de julho de 2022

Dorival passa por “teste de fogo” e começa a dar sua cara ao Flamengo




Placar: Quando o Flamengo acertou com Dorival Júnior para a vaga do demitido Paulo Sousa, há pouco mais de um mês, não foram poucos os torcedores rubro-negros que torceram o nariz para a contratação de um profissional brasileiro e já bastante rodado no mercado de treinadores do país. Mas desde então, o experiente profissional tem conseguido dar sua cara ao time, solucionando problemas que atormentaram o antecessor, e na última quarta-feira, 13, passou por seu maior teste ao eliminar o Atlético Mineiro da Copa do Brasil.



A vitória por 2 a 0 no Maracanã, revertendo a desvantagem de 2 a 1 do jogo de ida, foi conquistada com uma atuação extremamente dominante. Empurrado pela torcida que lotou o estádio, o Flamengo se impôs desde o primeiro minuto e acuou o Galo, com destaque para as atuações de Everton Ribeiro, Arrascaeta e Pedro, sempre com muita liberdade para se mexer pelo campo, se aproximar e tabelar.

Um dos méritos de Dorival neste início de trabalho, aliás, foi devolver essa dinâmica de movimentação mais livre para os jogadores de frente, em contraste com o estilo de ataque mais posicional de Paulo Sousa. Com Everton Ribeiro vindo mais de trás, pela direita, e Arrascaeta solto como um “10” no meio-campo atrás da dupla de ataque, o Flamengo foi envolvente e sobrecarregou a marcação do Atlético em vários momentos.



O novo sistema também tem solucionado uma questão antiga no Rubro-Negro: como fazer Gabigol e Pedro renderem juntos. Os dois têm atuado como uma legítima dupla de atacantes, próximos um do outro, incomodando os zagueiros e alternando movimentos. Contra o Galo, Gabi foi discreto e perdeu boa chance ao finalizar fraco de pé direito, mas Pedro brilhou com duas assistências para os gols de Arrascaeta.

Dorival ainda perdeu dois titulares recentemente: o atacante Bruno Henrique, com grave lesão no joelho, e o meia Andreas Pereira, que teve seu contrato de empréstimo encerrado no fim de junho. As peças de reposição, que ainda não foram regularizadas, são Everton Cebolinha, contratado do Benfica por um valor que pode chegar a 16 milhões de euros (86 milhões de reais), e o chileno Arturo Vidal, que estava na Inter de Milão.



Os números do trabalho do treinador não são tão impressionantes neste início: em 10 jogos, foram seis vitórias e quatro derrotas, com 19 gols marcados e 10 sofridos. Mas, por enquanto, o conselho flagrado pelas câmeras que Mano Menezes deu a Dorival na estreia do treinador pelo Flamengo – uma derrota por 3 a 1 para o Internacional – vem se cumprindo: “Dá para melhorar. O meu time também estava esculhambado, e deu”.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário