quinta-feira, 12 de maio de 2022

Aproveitamento da base do Flamengo é ponto alto do trabalho de Paulo Sousa; veja joias lançadas




Extra: Victor Hugo foi só mais um jovem utilizado por Paulo Sousa no Flamengo que deu retorno quase que de imediato. O trabalho do técnico tem como ponto alto até agora uma atenção maior aos talentos da base.



Antes do meia de 18 anos, o português promoveu um melhor aproveitamento do goleiro Hugo, do volante João Gomes, do atacante Lázaro e do meia Matheus França.

Em seguida, em nova leva oriunda do sub-20, deu minutos a jovens como os zagueiros Cleiton e Iago, os laterais Wesley e Marcos Paulo e os volantes Igor Jesus e Daniel Cabral, além do atacante Peterson.



João Gomes é o maior símbolo deste trabalho. Atuou em 25 das 27 partidas, 17 delas como titular. Em seguida, vem Lázaro, com 22 jogos, 11 como titular. O terceiro colocado é Hugo, com 19 jogos titular. Para completar, vem Matheuzinho, com 15 partidas, em 10 jogando de início.

Victor Hugo entrou nos dois jogos contra o Altos pela Copa do Brasil e atuou por 10 minutos diante do Talleres, na Libertadores. O maior aproveitamento se deve à dificuldade de reposição na função de meia, em que o Flamengo depende de Arrascaeta e Éverton Ribeiro. Sem Matheus França, que fraturou a fíbula, Victor Hugo pediu passagem.



Desde as primeiras conversas com o Fla, Sousa deixou claro que gosta de conhecer e trabalhar com jovens. O técnico é amigo de analistas de mercado e observadores de clubes europeus que o ajudam a se manter informado sobre as novidades no universo das categorias de base.

Assim que chegou ao clube, Paulo Sousa chamou os auxiliares Manuel Cordeiro e Victor Sánchez e promoveu reunião com o gerente de futebol Fabinho Soldado, o gerente técnico Juan, o gerente de transição Carlos Noval e o gerente da base Luís Carlos. O objetivo era saber mais a respeito da estrutura da base, metodologias, processos e modelos de treinamento. E, claro, o que poderia ser aprimorado, como introduzir mais exercícios nos treinos que refletissem nos jogos.



Nesse contexto, chamou muito a atenção a preocupação com o lado mental. Para o português, os atletas da base precisam trabalhar forte este quesito desde cedo, para aguentarem a pressão psicológica dentro e fora de campo. Sousa não pediu a contratação de um psicólogo e tem feito às vezes deste profissional, com um mapeamento do material humano à disposição.

Ainda na Europa, Paulo Sousa pegou dados sobre atletas do clube. Nos treinos da pré-temporada, pôde ver muitos deles de perto, quando estavam sob comando de Fábio Matias. Acompanhou os jogos-treino no CT e as duas primeiras partidas do Estadual in loco. As observações renderam a promoção de Matheus França, Cleiton e Noga. Entre idas e vindas do sub-20, Lázaro também foi efetivado no elenco principal.

Dentre os que já treinavam com Sousa, quem mais o encantou foi João Gomes, que estava decidido a sair. Com a alegação de que seria importante para o esquema de jogo, convenceu o volante a ficar. Hoje, Gomes ganha espaço e foi preterido em relação a Andreas Pereira, que ainda não tem a compra assinada.


- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Imagem: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário