quarta-feira, 12 de maio de 2021

Após empate no Chile, Flamengo desembarca no Rio com foco em final do Carioca




O Flamengo voltou ao Rio de Janeiro com mais um ponto na fase de grupos da Libertadores. Após o empate em 2 a 2 com o Unión La Calera, do Chile, fora de casa, o clube deixou escapar a classificação antecipada para as oitavas de final e chegou ao Rio de Janeiro por volta das 7h (de Brasília).




Autor de dois gols na partida (um deles contra), Willian Arão parou para falar com a imprensa que aguardava os jogadores. Para o volante de origem que tem jogado como zagueiro, o time está trabalhando para que não tome tantos gols, mas lembrou que erros acontecem.

- Difícil falar (o que falta para acertar na defesa). Não é uma coisa só. Se eu tivesse a solução eu teria feito. A gente tem trabalhado todos os dias para isso. Às vezes são erros individuais, às vezes são erros coletivos, que acontecem. Estamos trabalhando para melhorar. Os caras chegaram duas vezes no nosso gol e fizeram dois gols. Daqui a pouco a gente vai acertar e, se Deus quiser, vamos parar de tomar gols.


Com o jogo da competição continental no passado, agora o time de Rogério Ceni focará na preparação para a primeira partida da final do Campeonato Carioca, marcado para o próximo sábado, às 21h05 (de Brasília), contra o Fluminense, no Maracanã. A equipe irá folgar nesta quarta-feira e se reapresenta na quinta à tarde. Pela Libertadores, o próximo jogo será na quarta (dia 19), contra a LDU, às 21h, também no Maracanã.

Outros tópicos da entrevista de Arão no desembarque do Flamengo

Poderia voltar com a classificação


- A gente poderia ter ganhado. O time jogou bem. Cometemos erros porque somos humanos, mas ganhamos um ponto também e estamos invictos. Acho que a gente poderia ter ganhado essa partida.


Fla-Flu na decisão do Carioca

- Vai ser um jogo difícil, como sempre foi contra o Fluminense. É clássico e final. A gente espera fazer o que fazemos com todos os adversários: dominar a partida do início ao fim, tentar controlar a partida, criar o maior número de chances possível e poder sair vitorioso.

Alívio com o gol de cabeça?

- Não tem alívio. Quando um jogador erra, ele sabe porque errou. Ali eu não tive culpa, não tive a reação. Me aliviou porque o time estava precisando daquele gol, então fiquei feliz que pude ajudar a equipe. Infelizmente a gente não conseguiu virar. Foi um bom ponto, mas poderíamos ter saído com a vitória.


Falta de concentração - Isso acontece, sim, durante a partida. É difícil você manter o foco durante os 90 minutos com todos os jogadores. Em determinado momento escapa. Mas a gente tem treinado isso diariamente para que a gente chegue nas partidas e não falhe, tanto como equipe, como por jogador individual. Erros individuais acontecem e a equipe corrige, e alguns a gente não tem conseguido corrigir como equipe. Mas tenho certeza que isso vai melhorar e vamos parar de tomar tantos gols.

- // -

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Fonte: Globoesporte.com
Imagem: Felipe Schmidt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário