quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Acima da média do Brasileirão, posse de bola do Fla é praticamente a mesma dentro ou fora de casa



Seja no Ceará, em Santa Catarina ou em Minas, o Flamengo tem jogado como se estivesse no Maracanã: com grande posse de bola, em geral no campo do adversário.
A Folha analisou a posse de todos os times deste Campeonato Brasileiro, também separando os jogos como visitante ou em casa.

Líder do Nacional desde a 16ª rodada, o Flamengo treinado pelo português Jorge Jesus é a equipe que mais fica com a bola, análise que considera até o fim da 23ª rodada, encerrada no último domingo (6).

Nesta quinta-feira (10), o rubro-negro enfrenta o Atlético-MG, no Rio de Janeiro.
Nas 14 partidas comandadas por Jesus no Brasileiro, o time ficou em média 58,5% do tempo com a posse de bola. Em segundo lugar vem o Santos, com 57,4%.

Nos nove jogos antes da chegada do treinador português, a posse do Flamengo era um pouco menor (53,5%).

Se considerado apenas o tempo que uma equipe fica no ataque, o time da Gávea também lidera –18,5% do jogo todo do Flamengo é com sua posse de bola no ataque. O Santos aparece logo na sequência nesse indicador, com 16,9%.
Após uma vitória por 3 a 1 contra o Internacional, no Maracanã, o técnico flamenguista afirmou que seu esquema de jogo acompanha as características dos seus atletas.

“Os jogadores não só são rápidos mas também tecnicamente evoluídos”, afirmou Jesus. “Procuramos colocar uma ideia de jogo na equipe que vá ao encontro das características desses jogadores. É um time que sempre faz gol.”

Entre os seis principais artilheiros do Brasileiro, três são do Flamengo —Gabigol (18 gols), Arrascaeta (10) e Bruno Henrique (9).
Também chama a atenção no desempenho do Flamengo é que ele possui praticamente a mesma posse de bola dentro e fora de casa (58,5% e 58,4%, respectivamente) –a média da competição é de 51,5% para os mandantes e de 48,9% para os visitantes.

Nenhum outro time do Brasileiro mantém padrões tão semelhantes, seja qual for o mando da partida.

O Santos, por exemplo, que também tem grande posse de bola dentro de casa (59,2%), tem queda maior que os cariocas quando atua fora (55,8%).
Com esse modelo de atuação, o Flamengo já bateu na casa do adversário Avaí, Cruzeiro e Chapecoense, considerando a partir do momento em que chegou à liderança.

A análise feita pela reportagem mostra ainda que, se a posse de bola funciona para o Flamengo, ela não garante sucesso para outros times.

O Fluminense, por exemplo, que apenas tem brigado para fugir da zona de rebaixamento, possui 55,4%, a quarta maior posse de bola do campeonato.

Já o Palmeiras está na briga pela liderança e possui apenas a 10ª maior posse de bola do campeonato (49,2%). A reportagem usou como base os dados do serviço Footstats.



Fonte: https://www1.folha.uol.com.br/esporte/2019/10/arrancada-do-flamengo-passa-por-grande-posse-de-bola-ate-fora-de-casa.shtml

Curta nossa Página




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário