Flamengo pode igualar feito que apenas seis times conseguiram na história da Libertadores




Espn: Neste sábado (29), o Flamengo disputa a grande final da Conmebol Libertadores contra o Athletico-PR, às 17h (de Brasília), com transmissão ao vivo pela ESPN no Star+.

Se for campeão, o clube da Gávea conquistará o troféu de maneira invicta, já que não foi derrotado uma vez sequer na competição até agora.


Na fase de grupos, o Mengão teve cinco triunfos e um empate.

Depois, nos mata-matas, passou por Tolima, Corinthians e Vélez Sarsfield vencendo todos os confrontos.

Desta forma, o time comandado por Dorival Jr. entraria para a história ao lado de outros seis equipes que conseguiram levantar a cobiçada taça sem nenhum revés na campanha.


São elas, por ordem cronológica: Peñarol, Santos, Independiente, Estudiantes (duas vezes), Boca Juniors e Corinthians.

Relembre as campanhas de cada um:

Peñarol (1960)

Na primeira edição da Libertadores em todos os tempos, o Peñarol começou eliminando o Jorge Wilstermann, da Bolívia, na fase preliminar: vitória por 7 a 1 e empate por 1 a 1.


Na semifinal, o clube uruguaio travou três grandes confrontos contra o San Lorenzo, da Argentina. Foram dois empates e, na partida para definir a série, triunfo carbonero por 2 a 1.

Na grande final, contra o Olimpia, do Paraguai, o Peñarol venceu a partida de ida por 1 a 0, em Montevidéu, e depois foi campeão com um empate por 1 a 1, em Assunção. 


O Santos, que era o campeão vigente do torneio, entrou direto na semifinal, fazendo dois confrontos históricos contra o Botafogo de Garrincha e Jairzinho.

Na ida, o Fogão surpreendeu e conquistou um empate por 1 a 1 com o favorito Peixe, em São Paulo. No entanto, o Santos passeou no jogo de volta, enfiou 4 a 0 e foi à final.


Na decisão contra o Boca Juniors, o Alvinegro venceu a ida por 3 a 2 no Maracanã, com mais de 100 mil pessoas na arquibancada, e depois confirmou o título com um 2 a 1 de virada, em plena Bombonera.

Independiente (1964)

Na fase de grupos, o Independiente avançou sem problemas, com três vitórias e um empate - a chave tinha Millonarios, da Colômbia, e Alianza Lima, do Peru.


Na semifinal, o time argentino encarou o "favoritaço" Santos e protagonizou uma grande zebra: ganhou por 3 a 2 no Brasil e se classificou com outro triunfo em Avellaneda: 2 a 1.

A final foi apertadíssima, mas o Independiente confirmou sua campanha invicta e faturou a taça com um empate por 0 a 0 e uma vitória por 1 a 0 sobre o Nacional, do Uruguai.


Estudiantes (1969)

Em uma edição que não contou com times brasileiros, já que a seleção se preparava para a Copa do Mundo de 1970, o Estudiantes, que era o atual campeão, entrou direto na semifinal.

O clube alvirrubro se classificou com facilidade contra a Universidad de Chile, vencendo por 3 a 1 tanto em Santiago quanto em La Plata.

Depois, na final, o lendário time argentino se sagrou bicampeão com dois triunfos sobre o Nacional, do Uruguai: 1 a 0 e 2 a 0.

Estudiantes (1970)

Mais uma vez, a Libertadores não contou com times brasileiros, já que a CBF estava em desacordo com o formato da competição organizada pela Conmebol.

Ainda detentor do título, o Estudiantes entrou mais uma vez direto na semifinal e de cara teve clássico contra o River Plate, mas avançou com dois triunfos: 1 a 0 e 3 a 1.

Na grande decisão, a equipe de La Plata fez dois jogos muito equilibrados contra o Peñarol, do Uruguai, mas festejou seu tri com um triunfo por 1 a 0 e um empate por 0 a 0.

Boca Juniors (1978)

Campeão vigente, o Boca Juniors entrou no torneio diretamente na 2ª fase, ingressando em um triangular com o rival River Plate e o Atlético-MG.

Os xeneizes se classificaram na 1ª posição, somando três triunfos e um empate.

Depois, o clube de Buenos Aires encarou o Deportivo Cali, da Colômbia, e faturou o bi consecutivo com um empate po 0 a 0 e uma goleada por 4 a 0.

Corinthians (2012)

O Corinthians de Tite se classificou em 1º lugar no grupo 6, que também tinha Cruz Azul, do México, Nacional, do Uruguai, e Deportivo Táchira, da Venezuela, com quatro vitórias e dois empates.

Nas oitavas, 0 a 0 e 3 a 0 contra o Emelec, do Equador. Depois, nas quartas, 0 a 0 e um histórico 1 a 0 contra o Vasco. Por fim, 1 a 0 e 1 a 1 contra o Santos de Neymar e Ganso deram a vaga na final.

A decisão foi contra o Boca Juniors, com o Timão faturando seu primeiro e único título continental com um empate por 1 a 1, na Bombonera, e épica vitória por 2 a 0, no Pacaembu.

Fonte:
Imagem: Divulgação

- // -

Clique aqui para ver mais notícias do Fla

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.