terça-feira, 8 de setembro de 2020

"Obcecado por gols" e herói no videogame, Lázaro inicia trajetória no sub-20 do Flamengo de olho em chance no profissional



Enquanto vasculhava suas redes sociais, Lázaro foi surpreendido com uma mensagem em inglês. Abriu e, com a ajuda da tradução automática, se espantou com a mensagem. Era de um britânico agradecendo por todos os serviços prestados pelo atacante do Flamengo... no Football Manager, um jogo de computador que simula o trabalho de um treinador de futebol.


- Ele ficava mandando: “Muito obrigado, você é meu herói”. Como assim? Fui procurar saber. Eu postei no Twitter perguntando sobre o jogo. O pessoal começou a falar: “Você é demais, eu beijo até os seus pés. Você me salva em todas as horas. Se eu estiver precisando de você, você entra e faz gol”. Caraca, que loucura. Apareceu há alguns dias outra mensagem. Eu pego e vou na Internet para traduzir as mensagens (risos) - contou Lázaro ao ge.


Se no videogame Lázaro é visto como uma das principais promessas do mundo, na vida real o panorama não é muito diferente. Artilheiro do sub-17 do Flamengo e autor do gol do título mundial do Brasil na categoria, ele já foi citado em jornais estrangeiros como a nova joia de uma linhagem rubro-negra que teve recentemente Lucas Paquetá, Vinicius Junior e Reinier.

Seu próximo passo é a trajetória no sub-20, com o início do Campeonato Brasileiro - o Flamengo estreia no dia 23 de setembro, contra o Internacional, em Porto Alegre. Recuperado de uma lesão no joelho que o tirou oportunidades na equipe principal nos primeiros jogos do estadual, a ideia é mostrar que os gols não são apenas em games para chamar a atenção de Domènec Torrent, o novo comandante do profissional.

- Eu tenho a maluquice na minha cabeça que é ser obcecado por fazer gol. Tinha jogo sub-15 que eu não fazia um gol e ficava maluco. Juro para vocês, não conseguia dormir, ficava com aquilo na cabeça. Isso é bom e ruim ao mesmo tempo, às vezes não precisa se cobrar demais, mas é maluquice minha. Se tiver uma chance no jogo e perder vou ficar com aquilo me atormentando.


- Teve um jogo com o 2001 na China, contra o Palmeiras na semifinal. Fiz um gol, mas poderia ter feito dois... Perdi um que o Luiz Gustavo cruzou forte, cheguei sem tempo, inclinei o corpo para trás, debaixo da trave. Ela bateu na trave e foi para fora. Aquilo mexeu comigo. Fiz um gol no segundo tempo, mas só fiquei com o lance do primeiro tempo na cabeça, poderia ter feito dois. Além da resenha na escolinha do Flamengo, época de Copa Fla na Gávea. Os pais ficavam falando "se você fizer tal gol te dou 10, 20 reais". Eu ficava maluco, no final pegava dinheiro de cada um (risos) - relatou o atacante.

Nesta entrevista descontraída com o ge, Lázaro falou de sua curta passagem pelo profissional do Flamengo, ainda sob o comando de Jorge Jesus, contou suas inspirações e também da forma como lidou com a paralisação das atividades pela pandemia de coronavírus.

Confira a entrevista completa com Lázaro:

Diferença no sub-20


- Para mim está sendo um aprendizado enorme iniciar o trabalho com a equipe sub-20, já estou acostumado. Quando saí do sub-17 deu para adaptar, conhecer bem a rapaziada, que me acolheu super bem, sabe que a gente voltou do profissional, querem aprender com quem desceu de lá. Para mim, como estou no primeiro ano no profissional, é importante descer para a base tendo essa liderança. No campo vai ajudar muito mais.


Como está fisicamente pós-lesão no joelho, no início do ano

- Estou bem, joelho está 100%, não sinto nada. A confiança está sempre lá no alto. A gente que joga no Flamengo sabe de todo o tipo de pressão. Claro que tem a cobrança em mim por tudo que fiz ano passado, mas tenho tranquilidade para quando entrar dentro de campo fazer o melhor e aproveitar as oportunidades. Infelizmente tive a falta de sorte de não jogar o Carioca e a Libertadores, mas é tudo no tempo de Deus. Sou uma pessoa muito tranquila, se não foi para ser naquele momento vai ser em outra hora. Fiquei feliz pelo desempenho da rapaziada, mereceram o título. Aqui estamos sempre torcendo uns pelos outros. O foco agora é no sub-20, se tiver oportunidade no profissional também estarei focado, mas é primeiro fazer o trabalho aqui.

Experiência no profissional

- Sempre que tiver a oportunidade de estar treinando com a equipe principal vai ser motivo de grande satisfação. Estou treinando ao lado dos melhores da América. Para mim vai ser sempre um aprendizado muito grande. Me ajudou muito ver a qualidade dos jogadores, a forma de pensar fora e dentro de campo. Todos me tratam super bem até hoje, é um ambiente muito no clube. Isso me deixou à vontade, muito tranquilo. Hoje, se voltar a treinar no profissional, estarei mais adaptado. Claro que tem o nervosismo, mas já estou adaptado.

Impacto da saída de Jesus

- Todo mundo sabe o que foi o Mister dentro do Flamengo, um excelente treinador, marcou o nome na história do clube. Fiquei muito feliz quando ele falou de mim (na coletiva de reapresentação), percebia que gostava do meu trabalho, mas tinha que respeitar os outros jogadores que estavam no elenco. Só de saber que o treinador do profissional, o Jorge Jesus, gosta de você... Só vai depender de você continuar fazendo o seu trabalho que a oportunidade vai chegar. Nessa troca do Mister pelo Domènec, claro, tem que ter um pouco mais de paciência, ele está chegando agora, tem a questão de conhecer o elenco, mas eu tenho que seguir meu trabalho. A torcida sabe bem quem eu sou, isso é motivo para eu ficar feliz. Como venho trabalhando firme no sub-20, quando tiver os jogos vou aproveitar da melhor maneira fazendo o que sei. Quado tiver oportunidade com o novo treinador, e espero um dia ter, vou agarrar a chance no profissional.


Crescimento tático com o Mister

- Mesmo com o pouco tempo de trabalho com o Mister aprendi bastante coisa na forma de jogar, como meia-atacante e como ponta, que às vezes ele me colocava como ponta. Deu para perceber a logística de jogo dele, a estratégia. Me ajudou a ficar com isso na mente, colocar em prática no sub-20. Para mim a ajuda que tive do Mister, mesmo em pouco tempo, me fez evoluir. Na vida temos sempre que levar um aprendizado, ele me ajudou muito, é um treinador inteligente, está sempre cobrando todos, sempre pegando no pé. Isso dava um alerta em todos.

Corridinha de Jesus com Lázaro. O que ele falava?

- A forma dele de ficar correndo em volta do campo era engraçado, ele tinha que manter bem ali (risos). Ficavam zoando que ele ficava assim (com as mangas da camisa para o alto), brincando. O Mister era muito gente boa com todos, abracaçava todos. Ele na voltinha ficou procurando saber mais de mim, perguntando como cheguei no Flamengo, se joguei em oturo clube, com qual idade comecei a jogar no campo. Essas coisas de futsal, de família....

Lázaro como 9 ou Lázaro como 10? Como vem jogando?

- Em posicionamento hoje no sub-20 venho treinando igual ao sub-17, como 10. Um meia-atacante por trás do camisa 9. Essa posição para mim é essencial, porque gosto muito de criar, voltar um pouquinho, pisar na área já recebendo de frente e partindo para cima, provocando a última linha. Para mim está sendo ótimo. Mas jogando como ponta, de 10, de 9... Me sinto bem mesmo como 10, mas o importante é estar jogando, fazendo gols e indo para cima.


Período de pandemia

- Esse período de pandemia foi muito complicado. Eu estava querendo jogar, mostrar meu futebol e à beira do profissional. Mas tudo na vida acontece com um propósito, se não deu certo dessa vez, continuar trabalhando. Agora já tem data marcada para os jogos do sub-20, tenho que seguir bem, manter o foco, centrado naquilo que quero como objetivo nesse ano. (A parada) por um lado foi bom, por outro, ruim. O lado bom é que deu para recuperar meu joelho, 100% agora, não sinto dor. O lado ruim é a questão de estar perto do profissional... É trabalhar na temporada que resta, até fevereiro. Temos muita coisa pela frente e vamos aproveitar bem a sequência de jogos e treinos, tudo que tiver pela frente.

Rotina

- Meu dia a dia está sendo tranquilo, estou trabalhando firme no sub-20. Se amanhã chegar uma mensagem para treinador com o profissional, eu vou, de boa. Se for no sub-20, beleza. Estou a semana toda há um tempo no sub-20. Tem que ter paciência, pés no chão, tranquilidade. Claro que quero estar no profissional, indo para os jogos... A gente vê o Peglow no Internacional, o Gabrielzinho estreou no Palmeiras, o Henri indo para jogo. Bate uma ansiedade, quero jogar, mas é tudo no tempo de Deus. Na hora certa vai acontecer. Certeza que quando a oportunidade bater na porta vou aproveitar. Vou fazer meu trabalho onde estiver, no sub-20 ou no profissional.

Jogo-treino com os profissionais

- Teve um jogo-treino contra o profissional, ficamos sabendo na hora do treino. Experiência boa, estamos jogando contra os melhores da América. O meio tinha Gerson, Thiago Maia e Arrascaeta. Piada, não tem o que falar (risos). Os outros moleques ficavam olhando os jogadores. Eu já estou um pouco mais acostumado, até brinquei com o Thuler, fiquei protegendo e dando braçada nele, no Maia também. Para gente é muito bom, apesar do placar, isso é o de menos. O que importa é o nosso trabalho e aprender sobre tática de jogo. Essa é a chave de fazer o jogo-treinador, aprender os movimentos dos caras.


Rabiscou alguém?

- Deu para fazer uma gracinha, tem que estar sempre buscando fazer uma gracinha (risos). O Natan jogou em mim, por cima do Thuler, aí ele falou "filho da p..., joga pra c...". Na hora que a bola veio eu já falei "acha que eu não sabia que você ia chegar?". A gente mora aqui no mesmo condomínio, tudo parceiro.

Convivência com Gabigol

- O estilo do jogo dele, um cara obcecado por gol. Eu tenho a maluquice na minha cabeça que é ser obcecado por fazer gol. Toda bola ele pensa em ir para cima, para mim isso é muito bom, atacante vive de gol, tem que buscar. Nos jogos agora, mesmo não fazendo gols, ele está buscando, todo mundo está vendo. Uma hora a bola vai entrar, nem sempre vamos viver momentos absurdos com gols toda hora. Mas claro que, se deixar, a gente que fazer a carreira inteira com gol em todo jogo. O Gabi é um excelente jogador, aprendi muito bom ele. Está sempre querendo finalizar pós-treino, buscando melhorar o que ele tem de melhor. Ele quer aperfeiçoar o que tem de melhor, estou levando isso como espelho. Até como pessoa, trata todo mundo bem lá.

Quem foi sua inspiração?

- Cristiano Ronaldo, esse cara me deixou maluco. Me deixa até hoje. A culpa é dele, graças a Deus (risos). A forma que ele joga, quer fazer gols toda hora, de canhota, de direita... Ele fez um gol de canhota contra o Lyon na Champions que é piada. De vez em quando aqui em casa minha rotina é ir para o treino, aí volto, descanso, marco academia e quando está de noite, antes de dormir, que não tem nada para fazer, coloco "Cristiano Ronaldo temporada 19/20" (no YouTube). É piada fazendo gol, não tem como. Fico vendo vídeos dele, do Neymar, direto... Também venho do Vini (Junior), Rodrygo, Sancho, do Borussia. Os caras são piadas jogando.

Redes sociais

- Está bacana a relação. A torcida do Flamengo sempre aparece rápido quando a gente posta. Isso é bom, porque eles ficam se comunicando com a gente, interagindo com a gente. Outro dia eu dei mole no Twitter. Fui trocar meu nome, mas não sabia que perdia o verificado. Depois que postei a foto, veio o comentário perguntando por que eu não estava mais verificado. Doeu até o coração (risos). Falaram: “Pô, está dando mole, cria?”.


As mensagens privadas nas redes sociais

- Chega muita gente falando: “Tem que jogar logo, subir logo, você é o próximo”. Ontem postei foto, veio a torcida falando: “Além de ser jogador, é modelo” (risos). Tem que dar aquela mentirazinha, aquela brincada. Teve uma garota que marcou: “Olha o amor da minha vida”, marcando outra garota. E a outra respondeu: “Sai fora, é meu”. Já parei com esse negócio, meu irmão.

Expectativa de ser a nova promessa do Flamengo

- Eu fico bem tranquilo. Consigo lidar bem com essa pressão. Jogo no Fl\mengo desde os oito anos de idade. Pressão sempre via existir. Agora que a torcida me conhece bem, a torcida vai ter porque teve o Paquetá, o Vinicius, o Reinier. Eles já olham e falam: “Quem é o próximo?”. Eu fico feliz porque é o reconhecimento do meu trabalho. Todo o fruto que eu venho colhendo. Tenho a cabeça muito tranquila, nessas horas consigo ficar bem tranquilo. Só quero jogar futebol, ter meu espaço e minhas oportunidades. Vou estar sempre buscando e trabalhando para aproveitar quando estiver no profissional.

Outros destaques do sub-20

- O grupo está bem. A equipe está muito boa. Tem muitos grandes jogadores. Estar no sub-20 do Flamengo não é para qualquer um. Tem o Diguinho (Rodrigo Muniz), que adora dançar o brega dele. O Matheuzinho, que jogou contra o Botafogo. Ele joga muito, é excelente jogador. O Nathan, o Noga, o Richard, o Gomes. Tem muitos jogadors bons. A equipe vai estar muito forte nestes campeonatos.


Tempo perdido na pandemia

- Tem que ter paciência, cabeça boa para lidar com tudo isso. Agora já tem tudo marcado para a gente voltar a jogar, ter aquela rotina de jogos. Para a gente vai ser muito importante pra mostrar nosso futebol. Nessa sequencia de jogos do profissional vai ser importante, porque em algum jogo podem poupar alguém lá de cima e chamar alguém da base para o jogo. Vai que, do nada, você está aquecendo, e o treinador te chama para jogar. Tem que estar preparado e fazer primeiro seu trabalho na base, pra quando aparecer se dar muito bem.

Meta de gols para a temporada

- Tinha botado uma meta de 30 a 35 gols no ano, beirando os 40 (risos). Claro que tem como. É óbvio. A gente tem esse tempinho para começar. É balançar a rede na hora que tiver oportunidade.

Se tiver cinco bolas no jogo, é tentar matar as cinco.

Comemorações

- Antes do campeonato começar, vou entrar no Fifa e ver algumas comemorações novas. Agora quero fazer uma para ficar a minha carreira futebolística toda. Firmar em uma.

Europa

- Eu fico feliz pelo reconhecimento. Isso é sempre gratificante. Mas meu foco sempre foi no Flamengo. Claro que chegam algumas notícias, mas essas coisas do futebol da Europa eu deixo para os meus empresários e a minha família conversarem e verem o que é melhor. Tenho que estar focado no Flamengo, porque é onde teno contrato, onde eu sonho conquistar muita coisa aqui. Primeiro quero fazer o meu inicio perfeito no sub-20, depois o início de uma grande história no profissional, ganhar muitos títulos, fazer muitos gols, ter momentos marcantes com a camisa do Flamengo, e depois pensar em Europa. É óbvio que é um sonho gigantesco para mim jogar uma Liga dos Campeões, um Mundial de Clubes. O Flamengo, para mim, é a minha casa, onde me sinto muito


Fonte: https://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/obcecado-por-gols-e-heroi-no-videogame-lazaro-inicia-trajetoria-no-sub-20-do-flamengo-de-olho-em-chance-no-profissional.ghtml

CURTA NOSSA PÁGINA




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário