quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Como Dome aproximou Flamengo de "estilo Jesus" e abafou cornetas



O técnico Domènec Torrent não tardou para conhecer a fúria da torcida do Flamengo e o alto volume da corneta. Mas, após uma vitória em cinco jogos, o treinador ganhou uma semana livre de trabalho, viu seu time evoluir e vencer o Santos , e viveu sua melhor noite na vitória por 5 a 3 sobre o Bahia , na noite da última quarta-feira.


Em Salvador, o time de Dome teve lampejos dos bons momentos de futebol proporcionados pela equipe dirigida por Jorge Jesus e embalou os sonhos dos torcedores. O espanhol, um árduo defensor da tese do rodízio e do condicionamento físico, ganhou pontos no Pituaçu, já que seu time foi mais intenso do que de hábito e teve mais gás que seu adversário.


Autor de um golaço e de passes decisivos (e bonitos), Everton Ribeiro personificou em campo a tese de Torrent. Depois de iniciar no banco na Vila Belmiro, o camisa 7 foi determinante para o rendimento rubro-negro. Bem mais perto de sua melhor forma, o capitão não ficou tão estático como em partidas anteriores, foi beneficiado com a entrada de Isla e reviveu seus grandes momentos.

Ao lado de Arrascaeta, o meia comandou o rolo compressor do Flamengo, que chegava na área tricolor em bloco e sempre com (ao menos) três ou quatro jogadores em condições de definir a jogada, este também um traço do time do Mister. Com um time bem mais móvel e não tão "posicional", estilo sempre associado a Dome, o Fla fez da troca de posição uma marca e deixou o rival acuado nas cordas.

Antes da vitória de ontem (2), o técnico enfrentava críticas por não escalar sempre a dupla junta. Com os astros em melhor condições físicas, Domènec escalou ambos aonde se encaixam melhor e o resultado foi uma atuação de gala de dois dos principais jogadores do elenco.


"Eles (Arrascaeta e Ribeiro) jogaram outros jogos juntos. Quando eu falo que precisamos de tempo, eles também. O time está fisicamente melhor. Os dois jogaram muito bem, jogaram perfeitamente. Acho que Arrascaeta joga melhor por trás do atacante do que do lado. Já o Everton não perde bolas e pode jogar de extremo aberto para dentro", disse o comandante.

O triunfo também colocou à prova a força do grupo, visto que nomes como Pedro, Pedro Rocha, Thiago Maia, Michael e Renê foram acionados recentemente e deram conta do recado. Com uma equipe com muito mais gás e minutos mais distribuídos entre os jogadores, entrou em cena um time muito mais agressivo e que se parece mais com o Rubro-negro que conquistou quase todos os títulos recentemente. Embora haja diferenças claras de ideias e muitos ajustes por fazer, sobretudo na parte defensiva, o Flamengo já é um time mais perto de reencontrar sua identidade própria.


"Acho que todos jogaram muito bem. O Thiago Maia, o Arão, o Rodrigo, o Léo Pereira, Pedro Rocha... Quando o time ganha, ganhamos todos. Quando perde, perdemos todos. Estou feliz porque o time está cada dia melhor", ressaltou.

Obcecado pelo aperfeiçoamento e o trabalho em campo, Dome não quer saber de muito descanso e comandará treino hoje (3) no Ninho do Urubu. Se estiverem recuperados de suas lesões, Diego Alves, Gerson, Bruno Henrique e Gabigol voltam ao time na partida de sábado contra o Fortaleza , 17h, no Maracanã. Com um cardápio farto em mãos, o técnico vai deixando suas marcas na equipe, mas a parte física seguirá sendo decisiva para suas escolhas.


Fonte: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/09/03/como-dome-aproximou-flamengo-de-estilo-jesus-e-abafou-cornetas.htm

CURTA NOSSA PÁGINA




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário