quinta-feira, 7 de maio de 2020

“O Corinthians de 2020 deve mais do que o Flamengo devia em 2013”, conclui Mauro Cezar



O Flamengo entrou em um processo de recuperação financeira quando o ex-mandatário Eduardo Bandeira de Mello assumiu a presidência do clube, em 2013. Ainda em 2012, último ano do mandato da então presidente Patrícia Amorim, o Mais Querido tinha um déficit de R$ 20 milhões. As dívidas chegavam a quase R$ 800 milhões, sendo a maior entre os clubes do Brasil na época. No entanto, de acordo com o jornalista Mauro Cezar Pereira, em seu canal no YouTube, atualmente, em 2020, as dívidas do Corinthians já superam a do Fla, em 2013.


— Ainda sem a divulgação oficial do balanço, que deveria ter sido feita até a última quinta-feira (30) e que, por conta da crise do novo coronavírus, o clube esticou esse prazo e ainda não publicou o seu balanço, que ainda tem que passar pela aprovação do seu conselho. Mas o fato é: segundo a apuração do site ‘Meu Timão’, que teve acesso aos números do balanço, 765,2 milhões era a dívida do clube no final de 2019. A dívida do Flamengo, na virada de 2012 para 2013, uma matéria do Globoesporte.com mostra que a dívida era de R$ 750,7 milhões -, disse antes de prosseguir:

— Mas se colocar o estádio de Itaquera, a Arena, que não aparece no balanço, porque é gerida por um fundo então é um balanço a parte, um demonstrativo financeiro separado; como esse estádio ninguém sabe exatamente qual o valor dele total e qual o tamanho da dívida, mas estima-se que muito acima de um bilhão, fala-se em 1,5 bilhão ou 1,64 bilhão custo do estádio, juros e tudo mais. Claro que o Corinthians pagou uma parte, mas a maior parte vai ter que ser ajustada, é óbvio que a dívida do Corinthians passa facilmente desse valor -, afirmou antes de concluir:


— A conclusão é: o Corinthians de 2020 deve mais do que o Flamengo devia de 2012 para 2013, o que é algo assustador, algo realmente muito preocupante. Por que como será o futuro do clube no curto prazo? lembrando que sair desse buraco é possível. O Flamengo mostrou, mas é preciso tomar o amargo remédio que poucos querem. montar times mais fracos, mais baratos, sobreviver na primeira divisão e jogar os campeonatos com o que é possível, pedir apoio da torcida, alavancar receitas de alguma forma, renegociar dívidas com governo, credores, o que for, para aos poucos, colocar a casa em ordem. O Flamengo passou por todo esse processo. pouca gente quer passar por esse processo. o Corinthians vai desejar isso a partir da sua próxima gestão? -, concluiu questionando.

Quando assumiu a presidência, em 2013, Bandeira de Mello tinha a difícil missão de equilibrar essa área. Então, foi instalada uma política de austeridade financeira, o que significa que os gastos teriam um controle rígido. Outro passo importante foi a renegociação das dívidas, principalmente através da Lei Profut, sancionada em 2015, com a intenção de auxiliar os times de futebol a solucionarem seus débitos fiscais.

Além de controlar as dívidas, a diretoria do Rubro-Negro buscou também uma forma de aumentar as receitas, ou seja, o dinheiro que entrava nos cofres do clube. Para isso, eles utilizaram sua maior força: a torcida, que possui quase 40 milhões de membros. O marketing desenvolveu ações e criou o programa de sócio torcedor ‘Nação Rubro-Negra’. Ainda vale mencionar que o Mais Querido amargou, por anos, falta de títulos e colecionou uma série de jogadores com um nível mais abaixo.


Fonte: https://colunadofla.com/2020/05/o-corinthians-de-2020-deve-mais-do-que-o-flamengo-devia-em-2013-conclui-mauro-cezar/

Curta nossa Página




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário