terça-feira, 25 de agosto de 2020

Entenda 'parceria' entre Flamengo e Grupo City para lucrar com jovens pouco rodados



Por Diogo Dantas | O Globo: O Flamengo estreitou relações com o Grupo City, dono de dez clubes pelo mundo, e para onde negocia seus últimos talentos da base sem espaço no profissional. Não é por acaso.


Há diálogo para uma espécie de parceria ganha-ganha, para que os jovens possam gerar lucro para os dois lados caso sejam revendidos para equipes de ponta.


Ou mesmo alocados na principal marca do grupo, o Manchester City, da Inglaterra.

O primeiro garoto do Ninho a acertar com o Grupo City foi o lateral-esquerdo Caio Roque, de 18 anos, que teve negociado 50% de seus direitos por R$ 10 milhões.

O Flamengo agora finaliza a venda do volante Vinicius Souza, de 21 anos, por mais de R$ 20 milhões. E pode colocar o centroavante Lincoln no pacote.

O interesse nos atletas foi noticiado pelo jornal "O Dia".


O Grupo City quer o jogador por empréstimo, e para isso o Flamengo pede o valor de compra fixado em 10 milhões de euros (R$ 66 milhões). Se houver oferta de compra, reduziria para sete ou oito. Algo em torno de R$ 50 milhões.

Como praticamente já negociou dois atletas em definitivo, a diretoria entende que ao fim da janela de transferências em outubro, caso nenhuma oferta de compra chegue, deve fazer o negócio por Lincoln. O estafe do jovem segue atrás de interessados por uma proposta de saída em definitivo, já que tem vínculo até 2023.

O Flamengo sabe que o empréstimo seria a melhor forma de liberar Lincoln, que está sem mercado, mas não aceitou as propostas nesse modelo de outras equipes interessadas.


Agentes recrutam talentos no Brasil

Caio Roque seguirá para o Lommel, da Bélgica, comprado este ano pelo Grupo City. O destino seria o mesmo de Vinicius Souza. No caso de Lincoln, a ideia é alocar no Troyes, da França.

No Brasil, há agentes designados para fazerem o trabalho de scout de talentos e negociação com os clubes.

Além do Manchester City, o grupo é dono do New York City, nos Estados Unidos, de onde veio o técnico Doménec Torrent. E de outros clubes pelo mundo, como Melbourne City, da Austrália, Yokohama Marinos, do Japão, Girona, da Espanha, Sichuan Jiuniu, da China, Mumbai City, da Índia, Montevideo City Torque, do Uruguai, Lommel SK, da Bélgica, e Troyes, da França.


A empresa que faz parte do Grupo Unido de Investimento e Desenvolvimento de Abu Dhabi, conglomerado que pertence ao Sheikh Mansour bin Zayed Al Nahyan, ministro de assuntos presidenciais e irmão do atual presidente dos Emirados Árabes Unidos, Khalifa bin Zayed al Nahyan.

Vale lembrar que a parceria entre Brasil e Emirados Árabes foi estreitada desde o ano passado, quando o presidente Jair Bolsonaro e o xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, príncipe de Abu Dhabi, concordaram em expandir o comércio e ampliar fundos de investimentos em setores como agronegócio, infraestrutura, energia e defesa.


Fonte: https://oglobo.globo.com/esportes/entenda-parceria-entre-flamengo-grupo-city-para-lucrar-com-jovenspouco-rodados-24605059

CURTA NOSSA PÁGINA




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário