quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Torcida do Flamengo segura time até o fim e comemora vaga na Libertadores



Quase setenta mil pulmões incansáveis cumpriram a promessa de jogar junto e embalaram a classificação do Flamengo para as quartas de final da Libertadores. Desde antes de a bola rolar e Gabigol assinar a vitória de 2 a 0 sobre o Emelec, coroada nos pênaltis, ecoava no estádio o grito de “vamos virar, Mengo”, com o qual possivelmente os rubro-negros dormirão hoje sem conseguir tirá-lo do pensamento. Nos pênaltis, Diego Alves decidiu e levou a equipe às quartas.



As penalidades foram tensas, mas depois os jogadores foram comemorar com a arquibancada. Na torcida, os cantos de “Que torcida é essa”, “Festa na Favela”, “Domingo eh vou ao Maracanã” embalavam os jogadores que observavam em campo, especialmente Gabriel, que pegou um cartaz e ficou balançando em campo.

A conquista do Flamengo se deu também por uma postura tática agressiva e bem executada, sem espaço para erros defensivos. Mas impossível tirar o protagonismo do torcedor, que anunciou em mosaico que também jogaria e se manteve fiel até o fim. Principalmente quando o time cansou no segundo tempo.

O adversário na próxima fase é o Internacional. Mas no momento o torcedor e o time do Flamengo só querem curtir o resultado de uma união que extrapolou as quatro linhas e veio desde as redes sociais, passando por buscar o time no Ninho do Urubu e recebê-lo com as famosas ruas de fogo no Maracanã.



Os gols do Flamengo saíram no ritmo da bateria da torcida. Que ditou os sucessivos ataques desde o princípio. O time de Jorge Jesus explorou bem os lados com a volta de Everton Ribeiro. Pela direita, logo veio a jogada que terminou com pênalti duvidoso em Rafinha. Gabriel marcou e botou a bola no meio rápido. Em seguida, pela esquerda, Bruno Henrique recuperou uma bola perdida, teve calma, tocou para trás e Gabriel arrematou.

No segundo tempo, Arrascaeta foi para o jogo para a virada se consolidar. Mas o time perdeu o artilheiro da noite. Gabriel sentiu dores musculares e deu lugar ao jovem Reinier. O Flamengo já não tinha a intensidade do primeiro tempo e, além de perder algumas chances, foi mais atacado, especialmente na bola parada. Gerson também saiu esgotado e Berrio não manteve o nível.


Fonte: https://extra.globo.com/esporte/flamengo/torcida-do-flamengo-segura-time-ate-fim-comemora-vaga-na-libertadores-23846747.html - Foto: Pedro Martins

Curta nossa Página




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário